sábado, 31 de março de 2012

Aniversário de 1 ano do blog

Este mês completou UM ano que iniciei este blog!
Parece que foi ontem, mas quando olho para o arquivo com mais de 60 postagens percebo que aqui se foram muitas e muitas horas de dedicação lendo livros, reportagens, assistindo a documentários, pesquisando sites de informações e notícias, trocando e-mails com as entidades mais respeitadas no assunto e até me aventurando em viagens em busca desta tão amada criatura. 

Neste ano tive mais de 4 mil acessos não só do Brasil, mas dos EUA, Canadá, Portugal, além de países como Japão, Rússia, Suíça, Holanda, Reino Unido, Argentina, Alemanha, Holanda, etc.

Para aqueles que acompanham o blog com alguma frequência, tenham a certeza de que sempre tomo muito cuidado com toda a informação que publico, respeitando sempre as fontes e compartilhando apenas aquilo que confio e acho relevante... Um dos meus objetivos é trazer informações sobre Orcas em Português, pois sinto uma carência muito grande de informações sobre elas na nossa língua. Dessa forma, posso trazer aos brasileiros um pouquinho sobre o que estes incríveis animais são de verdade... Mostrar também que Orcas são muito mais do que "aquelas baleias do Sea World" (como infelizmente a maior parte dos brasileiros as conhecem) e acima de tudo, mostrar um outro ponto de vista para que, quem sabe, as pessoas parem de "aceitá-las" como meros instrumentos do entretenimento em tanques de concreto e passem a cultuá-las como animais inteligentes, brilhantes e acima de tudo: Livres!


Visite o blog sempre que puder e divulgue a amigos que possam se interessar!
E que venha o próximo ano!



 

quarta-feira, 28 de março de 2012

A pequena Wikie e seu espelho

Wikie é uma Orca mantida no cativeiro do parque Marineland, em Antibes, na França. Em 2007 fizeram um vídeo imperdível com ela de frente a um espelho... A pequena, que na época estava com seis anos de idade, deixa claro sua consciência de auto imagem - o que normalmente é associado somente às criaturas mais inteligentes do planeta!

Assista ao vídeo clicando aqui: http://youtu.be/g-_kUCoL39c

Poucos anos depois deste vídeo, Wikie deu à luz um filhote, resultado de uma inseminação artificial em parceria com o parque Sea World. O filhote macho, chamado Moana, nasceu somente depois de quatro tentativas de inseminação. Wikie deu à luz com idade assustadoramente inferior ao de Orcas na natureza...

sexta-feira, 23 de março de 2012

Uma explosão pode ter causado a morte da L112

Especulações sobre as causas da morte da pequena L112 só têm crescido nas últimas semanas: Ken Balcomb, do Center for Whale Research, acredita que a morte foi resultado de atividade naval na região... A Marinha canadense alega que utilizou sonares para testes nos dias em que a Orca foi morta, mas que se certificou de que não havia mamíferos marinhos no local. Diz ainda que não provocaram explosões... Infelizmente, uma coisa é fato: L112 morreu devido a múltiplas lesões. O problema está em definir como as lesões foram causadas.

Algumas testemunhas disseram que dias antes da Orca ter sido encontrada morta ouviram sinais de sonares, que foram registrados por uma sério de hidrofones, e que foram precedidos de uma explosão.

Se a causa da morte foi mesmo uma explosão, há uma forte possibilidade de outras Orcas terem morrido ao mesmo tempo, pois dificilmente um filhote estaria desacompanhado. Essa confirmação somente será possível com a contagem dos membros do pod L, do qual a pequena pertencia, que ocorrerá no próximo verão norte americano.

Seja o que for, essa morte é extremamente significativa para a população de Orcas Residentes do Sul, que é composta por menos de 90 animais e que está ameaçada. Seria muito bom se as marinhas canadenses e estadunidenses tivessem a mesma preocupação.

P.S.1: A necrópsia já foi finalizada e indica "traumas significativos", mas os resultados de alguns testes realizados sairão somente dentro de alguns meses.

P.S.2: Com áudio em inglês é possível assistir ao noticiário sobre o caso neste link: http://www.cbc.ca/news/canada/british-columbia/story/2012/03/21/bc-whale-explosion-death.html


P.S. 3: O blog noticiou a morte no dia 12 de março no post "A morte da pequena Orca L112".



quinta-feira, 22 de março de 2012

A polêmica da colocação dos rastreadores em Orcas

Pesquisadores dos EUA conseguiram com sucesso efetuar a colocação de um rastreador via satélite em uma Orca macho dentre os três pods da Residentes do Sul (89 baleias), mesmo diante de muita polêmica.

O objetivo da pesquisa é conhecer melhor os hábitos dos pods, especialmente durante o inverno, pois as Orcas que compõem esses pods passaram, infelizmente, a serem consideradas dentre as espécie ameaçadas de extinção por conta da poluição química, níveis sonoros, perturbações físicas e escassez de alimento (no caso, o salmão).

A pesquisa tem causado muita controvérsia, mesmo antes da colocação do primeiro rastreador, sobretudo por parte dos canadenses que compartilham a costa e a pesquisa com Orcas na região (Ilha de Vancouver no Canadá e estado de Washington nos EUA). Segundos os canadenses essa decisão foi unilateral: O governo americano deu a permissão sem consultar o Canadá.

A polêmica está no fato de que o rastreador efetuará registros somente de dados de localização e de apenas uma das Orcas (que não necessariamente passa todo o tempo com seu pod), e não efetuará registros sobre alimentação e sobre o que leva as populações de uma região para outra (essas informações seriam reunidas separadamente). Além disso, os rastreadores foram desenvolvidos para se soltarem, caso a Orca apresente alguma rejeição, o que pode ocorrer em poucas semanas. Com o sistema imunológico já debilitado pela exposição à poluição, a ferida deixada pelo rastreador pode facilmente infeccionar, causando graves doenças ou até à morte. Alguns anos atrás, uma infecção bacteriana que o corpo não conseguiu combater devido ao sistema imunológico debilitado por toxinas químicas, causou a morte da Orca identificada como J-38. Sem mencionar que a própria perturbação para a colocação do rastreador só tende a aumentar o estresse entre as populações.

Muito centros de pesquisas já não se utilizam mais de rastreadores e métodos invasivos para estudar as espécies e mesmo assim obtêm muito sucesso. Para alguns, isso tudo não passa de questões financeiras pois é mais barato se utilizar de rastreadores para pesquisas do que métodos não invasivos.

Independentemente de questões financeiras, aqueles que realmente amam estes animais apostariam em métodos não invasivos, pois me parece contraditório querer estudar determinada espécie para "preservá-la", mas não respeitá-la acima de tudo, que é o mais importante... Afinal, se a humanidade já não tivesse feito tantos estragos no ecossistema e dizimado tantas espécies, a "preocupação" atual com preservação não existiria.

P.S.: A foto é do Times Colonist.


quinta-feira, 15 de março de 2012

Golfinhos encalham e são salvos em praia do RJ

Este vídeo que mostra aproximadamente 30 golfinhos encalhando em Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro, já foi divulgado em diversas mídias, mas eu não poderia deixar de registrá-lo aqui no blog.
O comportamento dos banhistas para ajudá-los foi incrível e por isso devemos tê-lo como exemplo e divulgá-lo:


Tenho lido comentários muito positivos nos sites internacionais sobre o ocorrido. Acho válido que o mundo saiba que a maioria dos brasileiros se importa com a espécie e valoriza sua presença e preservação em nossas águas.

Parabéns aos banhistas!
Fico contente que estavam por perto naquele momento!!!



segunda-feira, 12 de março de 2012

A morte da pequena Orca L112

Uma pequena Orca (identificada oficialmente como L112) de três anos de idade, também conhecida como "Sooke" e "Little Victoria" (por ter sido vista pela primeira vez na baía de Victória, no Canadá), foi encontrada morta em Long Beach, no estado de Washington, EUA, no dia 11 de fevereiro.

O motivo da morte tem sido um grande mistério...

O corpo de L112 indicou que ela estava morta há cerca de três dias e apresentava um trauma na cabeça, porém com características diferentes de um  trauma causado por colisão com embarcações.

Alguns atribuem o motivo da morte ao de sonares da marinha, mas isso ainda deve ser avaliado. Na semana anterior à sua morte, a marinha canadense foi criticada por grupos ambientalistas por utilizar sonar no Estreito de Juan de Fuca, mas a marinha alegou que todas as precauções foram tomadas e que não haviam mamíferos marinhos na área.

Cientistas já realizaram uma necrópsia a semana passada, mas ainda estão avaliando as causas da morte.

A notícia da morte foi recebida com muito pesar pelas instituições que acompanham e protegem as populações de Orcas na região, bem como pela população, especialmente pelas comunidades ao longo da Highway 112 na Península Olímpica, nos EUA, que a haviam adotado dois anos atrás, por conta de seu número de identificação.

L112 fazia parte do pod L das chamadas Residentes do Sul, que recentemente foram reenquadradas entre as espécies ameaçadas de extinção devido principalmente à poluição e a escassez de alimento (no caso, o salmão, em decorrência da pesca excessiva e predatória) na região que habitam, que mesmo com apoio e proteção que têm recebido nas últimas décadas, têm enfrentado muitas dificuldades no desenvolvimento e aumento de sua população.



P.S. 2: Publicarei a causa da morte quando divulgada...



quinta-feira, 8 de março de 2012

Transferência de Keet II

A Orca macho Keet foi de fato transferido para o parque Sea World de San Diego na Califórnia. Ele estava no parque de San Antonio, no Texas, e a viagem foi realizada de avião na segunda feira passada, dia 27...


Keet, infelizmente, já passou por esse desagradável processo de um parque para outro várias vezes.

Leia mais sobre sua vida no post de janeiro "Transferência de Keet I": http://v-pod-orcas.blogspot.com/2012/01/transferencia-de-keet.html

P.S.: A foto é da KABC-TV/DT.