segunda-feira, 21 de março de 2011

Primeiros registros de uma Orca Branca

No início de 2008, pesquisadores em expedição nas águas do Alasca, finalmente conseguiram avistar e registrar as primeiras imagens de uma orca branca. O encontro ocorreu próximo às Ilhas Aleutian.
Durante a história, houveram alguns relatos sobre sua existência, porém, nenhuma imagem havia sido obtida para comprovação e avaliação das características.
Era um macho adulto e saudável com aproximadamente 8 metros de comprimento e 4,5 toneladas. Estava em meio a um grupo de 12 animais.
O barco dos pesquisadores permaneceu próximo ao grupo por aproximadamente 30 minutos. Toda a tripulação veio observar e registrar esse momento.


P.S.: Ela não chega a ser totalmente branca, está mais para um amarelo ou cinza, mas o curioso é que mantém as mesmas manchas bem claras atrás da barbatana dorsal e acima dos olhos – marcas registradas das orcas. Eu achei linda!




domingo, 20 de março de 2011

Previsão de Novas Capturas

Resolvi começar a escrever esse blog, não só para compartilhar informações sobre Orcas (pois essas informações são muito difíceis de serem encontradas aqui no Brasil, em português), mas para trazer informações sobre as reais condições de vida desses animais tanto em seu habitat quanto em cativeiro.
Acredito que a maior parte das pessoas acredita que, atualmente, todas as Orcas que vivem em cativeiro no mundo (e não são poucas, são dezenas) nasceram neste mesmo local.
Na verdade, tenho pesquisado que a história não é bem essa... Infelizmente!
Orcas são imensamente valiosas para parques de entretenimento em todo o mundo e a reprodução em cativeiro não é nada simples... Na maioria absoluta das vezes ocorre por inseminação artificial (técnica, que pelo que li, não é exatamente dominada quando se trata de Orcas (além de parecer-me extremamente desconfortável para os animais)) e não naturalmente. A taxa de fecundidade é baixíssima e de mortalidade, não só dos filhotes ainda na barriga ou após o nascimento, bem como das fêmeas devido a trabalho de parto, são altíssimas.
É absurdo pensar que, ainda hoje, depois de todo o conhecimento adquirido sobre a inteligência, a força, a comunicação e a complexidade social e comportamental das Orcas, ainda existam países que aceitem a retirada desses animais dos oceanos.
De acordo com sites seguros, a Rússia acabou de permitir (no último dia 06 de fevereiro) a captura de 10 orcas de suas águas e tudo indica que o Japão fará o mesmo em breve.
Esse é um assunto extremamente polêmico e controverso em todo mundo. Para mim, é absolutamente inaceitável!

domingo, 6 de março de 2011

O que são Pods?

Pods são grupos sociais de mamíferos marinhos.
Os Pods são sempre liderados pelas fêmeas mais velhas do grupo. Orcas possuem estruturas sociais muito complexas... Esses grupos podem variar de 5 a 50 indivíduos, aproximadamente.
Em muitos lugares do mundo são classificados/nomeados por letras: J, K, L Pod.
Daí a ideia (carinhosa) de chamar o blog de “V-Pod” (além deste Pod não existir “oficialmente”, pois não queria confundir os assuntos aqui abordados com registros oficiais, fiz uma referência a primeira letra do meu nome).





A primeira Orca

De acordo com a lenda Tlingit e Haida, chamada “Natsilane and the Blackfish”, Natsilane era um jovem guerreiro que se tornaria chefe de sua tribo devido a sua inteligência, habilidades e bom comportamento. Porém, seus irmãos, que muito o invejavam, fizeram um plano para impedir que ele se tornasse chefe. Um dia, levaram Natsilane para pescar em alto mar, bem mais longe do que jamais haviam alcançado, e o jogaram ao mar.
Natsilane estava quase se afogando quando foi salvo por uma lontra do mar que o levou a uma grande ilha, afirmando que sua terra era muito longe para leva-lo até lá. Já que não podia leva-lo de volta, a lontra mostrou-lhe os melhores lugares para caçar e pescar. Logo que Natsilane se estabeleceu nessa nova ilha, sozinho, a lontra lhe deu um último presente: Diversas sementes e instruiu Natsilane a semeá-las e mostrar seu valor. E foi o que fez. Com o passar dos anos, nasceram e cresceram uma grande diversidade de árvores, todas que são hoje nativas do noroeste do oceano Pacífico.
Natsilane passou a usar as árvores para esculpir ferramentas e um barco. Ainda em agradecimento pelo lontra, decidiu esculpir um totem. Ele tentou com várias árvores até conseguir com um grande cedro-amarelo esculpir um peixe imenso, que deixou na praia para a lontra o encontrasse.
Na manhã seguinte, quando Natsilane voltou a escultura havia desaparecido e na baía nadava um “Peixe Negro”: a primeira Orca.
Com seu barco e ferramentas, Natsilane então retorna à sua terra, guiado pelo Peixe Negro. Ao chegar, encontra seus irmãos pescando novamente. Ele então ordena que o Peixe Negro destrua o barco e afogue seus irmãos, o que foi feito imediatamente.
Como recompensa, Natsilane diz que daquele dia em diante, o Peixe Negro jamais deveria machucar um humano de novo e sempre que encontrasse um em apuros no mar, deveria ajuda-lo.
Ele então manda a baleia de volta ao mar e retorna a sua vila para se tornar o chefe, com o apoio da aldeia que muito sofrera com o comando de seus irmãos.


P.S. 1: Para os índios Haida, os animais são seus semelhantes e são cultuados como Deuses.

P.S. 2: Parte dessa história é contada no filme “Free Willy”.